O TGR: Cine-Glauce

Divisão do Teatro Glauce Rocha


O cinema esteve presente no Teatro Glauce Rocha. O Projeto Cine-Glauce exibiu 70 filmes entre as origens brasileiras e estrangeiras, os quais abordavam diversas temáticas. Estima-se cerca de 10.000 espectadores entre os anos de 2003 e 2007.

O projeto Cine-Glauce é de autoria de Marineide Cervigne, que em viagem ao Rio de Janeiro presenciou a exibição de filmes em duas seções, uma no almoço e outra na janta. De volta a Campo Grande ela decidiu promover semelhante idéia em uma sala da Coordenadoria de Cultura/PREAE (Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis), onde trabalhava na ocasião. As exibições eram apenas no horário do almoço. Nasciam assim os germes que dariam vida ao futuro projeto: Cine-Glauce.

Marineide Cervigne assumiu a coordenadoria do Teatro Glauce Rocha em 1993, desde então pretendia reviver a idéia. No ano de 2003 houve a  aquisição de um datashow para o Teatro, a coordenadora reativa o projeto. Agora os filmes eram exibidos todas às 3ª feiras do mês nos horário do almoço e do jantar. Existia um convênio com uma locadora da cidade e a escolha de repertório era feita através da lista de presença, na qual os alunos da UFMS sugeriam filmes e a coordenadora utilizava do bom senso para escolhê-los, pesquisava e percebia aquele que tinha melhor crítica e maior público nos cinemas. O critério era a seleção de ao menos um filme nacional e o restante variava entre os diferentes gêneros:  drama, comédia, ação, etc.

O curioso é que o filme infantil Procurando Nemo foi o que teve maior público em um único dia de apresentação, 324 espectadores assistiram.

Em princípio não se cobrava entrada, porém o Projeto Córrego Bandeira  passou por problemas na compra de alimentação para os alunos, então Marineide Cervigne decidi cobrar R$ 1, 00 ou 1 pacote de bolacha mais 1 Ki-suco e então encaminhava ao projeto.

No ano de 2006 o público foi reduzindo, isto se torna claro no período de Junho, na Copa do Mundo. Os filmes Adaptation e 21 Grams foram cancelados. Então, a coordenadora resolve encerrar o projeto. Em 2007 um representante da Petrobrás procurou-a para propor o Cinema Brasileiro em Movimento, que acontece em todo Brasil. Assim, Cervegne ajusta a idéia ao projeto Cine-Glauce para facilitar a burocracia, porém após a apresentação de dois longas-metragens e dois curtas, mais uma vez o cinema pára no Teatro Glauce Rocha.

A coordenadora avisa, se alunos se comprometerem a trazer no mínimo 20 pessoas, eu volto a exibir os filmes.